26 de agosto de 2016 22:02

Governo da Bahia certifica 100 pessoas em projeto de Matriz Africana

Exposição marcou o evento nesta sexta (26)

Por Redação
foto_Marcelo_Reis
foto_Marcelo_Reis

Uma exposição com roupas, adereços, ferramentas de orixás e instrumentos sagrados de religião de matriz africana marcou a solenidade de encerramento do Projeto Rede Ardecente, realizada nesta sexta-feira (26), na Casa do Benin, no Pelourinho, em Salvador.

Parte do Edital de Apoio a Empreendimentos Econômicos Solidários de Matriz Africana da Secretaria do Trabalho Emprego Renda e Esporte (Setre), o projeto formou 100 pessoas de comunidades do entorno de cinco terreiros de candomblé de Salvador. A Organização Social Filhos de Marujo foi a entidade executora dos cursos.

Presente na solenidade, o secretário do Trabalho e Esporte, Álvaro Gomes, destacou que “o objetivo do edital, além de difundir e preservar as raízes culturais e a religiosidade de matriz africana, contribui com a melhoria de vida, gerando emprego e renda nas localidades beneficiadas”.

O curso beneficiou jovens da Associação Religiosa e Cultural Santo Antônio de Pádua do Ilê Axé Ogum Osim Omolé (com oficinas de instrumentos/atabaques), Ilê Axé Iba Lugan (bordados e richilieu), Onzó Kanzuá Monaleuci Umguzo de Um Zambe, (vestimenta), Centro Cabloco Eru da Aldeia de Jequiriçá (ferramentas de orixás), Ilê Axé Opo Onirê (adereço de orixás). Essas instituições estão localizadas nos bairros de São Tomé, São Cristóvão, Paripe, Engenho Velho da Federação e Pau da Lima.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*