04 de maio de 2017 01:03

Comissão já avalia concorrente ao Premio Braskem

Espetáculos disputam para a 25ª edição do evento

Por Redação

unnamedCinco renomados profissionais ligados às artes cênicas já estão atentos a todas as produções teatrais em cartaz em Salvador para eleger os destaques de 2017. Eles compõem a Comissão Julgadora da 25ª edição do Prêmio Braskem de Teatro, que até 17 de dezembro, irão avaliar e indicar os espetáculos concorrentes a mais tradicional premiação do teatro baiano. Este ano integram a comissão, Bertrand Duarte, ator, apresentador e titular da Diretoria de Audiovisual do Governo do Estado da Bahia (DIMAS); Cristiane Mendonça, atriz; Edvard Passos, arquiteto, diretor teatral e dramaturgo; Mauricio Pedrosa, ator, diretor, cenógrafo e bonequeiro; e Warney Jr., dançarino, ator, coreógrafo e professor de dança de salão.

“É uma honra ser destacado para uma tarefa que certamente – e novamente – será muito difícil, com tantos talentos nos nossos tablados”, ressalta Bertrand Duarte, que já foi jurado na 10ª edição do Prêmio Braskem de Teatro, em 2002. O mesmo sentimento é compartilhado por Mauricio Pedrosa, novato na função. “Será a oportunidade de vivenciar o lugar oposto ao meu, visto que sempre estive na condição de julgado no Prêmio Braskem”, explica Pedrosa, vencedor da 24ª edição do Prêmio Braskem de Teatro, na Categoria Especial, pelo desenho de cenário do espetáculo Mágico Mar. Para ele, fazer parte da comissão será a possibilidade de discutir e contribuir para o crescimento do Prêmio, além de observar com isenção e respeito todos os espetáculos.

Para Edvard Passos, a responsabilidade também se estende ao compromisso de fazer jus à própria reputação do prêmio que celebrará bodas de prata em 2018. “Avaliar o trabalho artístico dos nossos colegas é uma grande responsabilidade que é dada àqueles por quem a própria classe desenvolveu algum tipo de confiança”, explica Edvard, ganhador do Prêmio Braskem em 2015, pela direção da peça Compadre de Ogum. A importância do trabalho da Comissão Julgadora também é reconhecida pela Cristiane Mendonça, outra estreante na função. “Julgar os mais variados espetáculos e todos os profissionais envolvidos em seus processos de elaboração, execução e encenação é um trabalho delicado e de enorme responsabilidade. Fico feliz em inspirar a confiança para fazê-lo”, orgulha-se a atriz.

Segundo Warney Jr., outro integrante da comissão, os meses serão intensamente dedicados à observação e apreciação da cena teatral baiana. Para o dançarino, “o prêmio oxigena, transforma e impulsiona a produção baiana, assim como, resgata a autoestima daqueles que escolhem o fazer artístico como ofício”, conclui. A supervisão da comissão julgadora continua a cargo de Vadinha Moura, atriz, diretora, produtora teatral, gestora cultural e arte educadora.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*