24 de agosto de 2017 18:46

Casa do Carnaval está em fase final de restauração

Equipamento abrigará memória da festa

Por Redação
Casa do Carnaval_Foto_Jefferson Peixoto_Secom_Pms
Foto: Jefferson Peixoto (Secom/PMS)

A Casa do Carnaval, espaço de referência e ao mesmo tempo de promoção da folia momesca, está em fase final de restauro e muito em breve terá um cronograma especial para moradores e visitantes de Salvador. O espaço terá um acervo carnavalesco permanente, para preservação da memória e divulgação da festa, e uma agenda de eventos, como lançamentos, discussões e planejamentos do próprio Momo. O equipamento integra os investimentos previstos no eixo Centro Histórico do programa Salvador 360, lançado ontem (22) pelo prefeito ACM Neto.

Localizada na Praça da Sé, entre a Catedral Basílica de Salvador e o Espaço Museu de Eletricidade da Coelba, a edificação de quatro pavimentos tem vista panorâmica para a Baía de Todos os Santos. A partir da varanda é possível ver a ponta de Humaitá, o Comércio, o Elevador Lacerda e o Monumento à Cidade de Salvador.

As instalações oferecem ferramentas e instrumentos que possibilitarão o uso de tecnologias, como projeções, áudios e realidade virtual, que irão conferir interatividade ao acervo da casa.

Referência – A Casa do Carnaval, segundo Cláudio Tinoco, será um espaço de referência e memória. Mas ele lembra que, conforme sugestão do prefeito ACM Neto, o local também deverá ser de produção permanente para o presente e o futuro do Carnaval. “Aqui poderão ser feitas análises de programação dos carnavais atuais ou futuros. Pode funcionar para o planejamento da cadeia produtiva da folia, por exemplo, para o lançamento de músicas, DVDs e uso das entidades do setor”, sugere.

Prédio – O prédio da Casa do Carnaval tem quatro pavimentos, contando com o subsolo e o terraço. A fachada foi totalmente restaurada e o interior do espaço foi todo revestido em Miniwave, elemento da arquitetura contemporânea que confere ventilação e iluminação natural. Há porta-objetos, elevadores e banheiros com acessibilidade para visitantes. A localização, ao lado do Plano Inclinado Gonçalves, facilita o acesso à Casa.

Além disso, o terraço terá um café-bar com espaço de convivência de onde será possível contemplar a Baía de Todos os Santos. O local também ganhou uma arte em mosaico que reúne várias obras do artista plástico J. Cunha. A edificação, que já abrigou o 18º Batalhão da Polícia Militar, está sendo restaurada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), com recursos da ordem de R$ 10 milhões, provenientes do PAC das Cidades Históricas, e será administrado pela Prefeitura.

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*